quinta-feira, 5 de março de 2009

Príncipes, lobos e plebeus!

Juro que tentei com quase todas as minhas forças não sair nos dias de festa profana!
A idéia inicial era fazer um retiro espiritual. Queria mesmo passar um carnaval tranqüilo, longe da muvuca, ice's e outras coisitas que sempre rolam nesses dias. Confesso, falhei! É... eu sai. E sai todos os dias! Quando percebi já era quarta feira de cinzas...
Ano passado foi a mesma m.! Voltei do curso de verão em Petrópolis com uma idéia fixa: Não vou sair! Vou aproveitar os últimos dias para hibernar (se é que se pode fazer isso na roça praiana onde eu moro) Cheguei no sábado a noite e sai no domingo. Fui com sei lá quantas meninas (muita mulher junto sempre dá confusão! Fato!) num trânsito horrível, um calor desgraçado para depois de uma hora chegar ao meu destino e "brincar" no carnaval. E ainda choveu!
Mania de dar crédito a primatas...
Para completar, esse ano fui a praia! (não deveria contar esse fato aqui, mas tudo bem. Nenhum conhecido lê as minhas estranhezas.. hehe) Mesmo sabendo que minha dermatologista ia perturbar (e como perturbou!) com aquele discurso todo contra o sol para depois perguntar o que adianta sabonete e creme contra acnes, protetor solar em gel com fator acima de 30 (o que pra mim é um exagero visto a quantidade de melanina que possuo.. maas a doutora é ela) e todas as bichices que ela me obriga a fazer para eu não voltar a ser o chokito que era a quase seis anos atrás...
Céus como eu odeio praia cheia! Ambulantes pra tudo quanto é lado, turistas saltitando para não pisar na canga alheia, um calor infernal, pouco espaço, pessoas esquisitas sem educação, quiosques cheios, tudo mais caro e o mais aterrorizante.. AREIA! Nervoso que dá quando gruda no corpo ou cai nos olhos. Dá vontade de xingar até a quinta geração do vento infeliz que carrega esses grãos pra tudo quanto é lado!
Tá! Passou!
Deixando a revolta de lado, nem tudo estava perdido. O que amenizou a situação foi a presença dos amigos e claro a barraca azul!! (Sem ela aquela manhã seria bem pior) oK! O que são 3 horinhas numa praia lotada perto de um fim de semana maravilhoso?!? Tirando isso, foi tudo ótimo. Boa música, gente bonita, casa oito (piada interna...), carteado, levantar tarde, dormir tarde.. foi muito bom! xD
Mas você sabe tudo que é bom dura pouco! (E não me venha com aquele papo que dura o tempo necessário porque se fosse assim não ficaríamos com um gostinho de quero mais! *prontofalei!)
Tive que volta na segunda e haja paciência. Nessas horas que eu tenho raiva do carnaval e do povo em geral que deixou essa festa se tornar popular! Porque as pessoas não ficam nas suas casas?! (Quando digito pessoas refiro a mim também.) Seria tudo mais fácil se ficasse cada um no seu obtusângulo! Quem lê até pensa que viajei para longe.. que nada! Só sai da roça onde moro para passar dois dias no Peró (uma praia mais badaladinha da minha cidade) De resto encontrei quem eu queria (quem não queria também), revi alguns poucos amigos, conheci pessoas legais...
E no último dia sai no Bloco do Gavião! Hilário por sinal... E analisando os [des]conhecidos que encontrei por lá surgiu esse post que deveria ser publicado semana passada... =/
Não entendeu o porquê desse título?! Nhá! Esse não é um post tardio sobre a minha "saga" carnavalesca...
Só estava tentando contextualizar a análise superficial, subjetiva e não-científica baseada numa pesquisa de campo com exemplares da espécie e na pouca experiência adquirida nas duas últimas décadas vividas pela estranha que vos digita sobre um dos nossos temas favoritos do sexo feminino (gays e travecs também adoram): HOMENS!
Prolixidade a parte...
Atenção: O conteúdo é feminista! Bem no estilo papo mulherzinha!
Se não for do seu agrado, favor clicar no link "Próximo blog" situado no início dessa página. ;]
Dito isto, vamos aos fatos!

Se eu pudesse dividir os homens em categorias, dividiria em três.
Sim! Somente três. Playboys, metrossexuais, ratos de academias, machões, nerds, descolados e afins seriam subcategorias. Existem três tipos que todas nós deveríamos saber identificar depois da primeira conversa (porque saber quem é quem só de olhar é muita evolução pra raça humana).
São eles: Príncipes, lobos e plebeus.
A primeira categoria é preferência de nove entre dez meninas (e de algumas adultas loucas também) Os príncipes! Esse tipinho povoa nossos sonhos desde que começamos a “encher o saco” dos nossos pais e numa tentativa inútil de calar nossas bocas ávidas por novas palavras nos enchem de livros com finais "felizes para sempre" e filmes das princesinhas da Disney. (Quando eu digo que a culpa de tudo é dos pais acham que estou de perseguição)
O fato é que desde pequenas somos induzidas a achar que aquele é o modelo de homem. Lindo, rico, educado e gentil. Perfeito!
Então passam alguns anos e já estamos nós na escola. Naquela fase besta de separar tudo e todos.. Meninas com meninas, meninos com meninos e ficamos pensando.. Como esses seres que se divertem correndo atrás de uma única bola e socando um a cara do outro poderiam se tornar príncipes mais tarde?!
Passados mais alguns anos percebemos que aqueles pirralhos se tornaram (ou não) homenzinhos bem interessantes... Depois de tanta desilusão e os hormônios da puberdade dando as caras percebemos que a possibilidade de ser feliz para sempre é remota e deixamos de acreditar que aquele sapo vai se transformar em algo decente após o primeiro beijo.

Eis que surgi a segunda e mais perigosa das categorias... Os lobos! Aaaaah os lobos...
São os piores! Hipnotizam de tal forma que é difícil escapar. Com eles nosso mundo cor de rosa ganha novas cores, novas combinações e aquilo que era perfeitinho, certinho, arrumadinho se torna deveras chato!
Lobos tem a capacidade de transformar até a mais marrenta das criaturas em pobre moçoilas indefesas. Palpitações, mãos geladas, suspiros, pernas bambas... Acabamos acreditando naquela conversinha mole. Em uma semana já estamos amando, com quinze dias chamamos a melhor amiga para ser madrinha de casamento e um mês voltamos a triste realidade. O bonitão se foi, à procura de outra presa fácil.
Quando você se da conta lá esta o filho de uma desalmada fazendo juras de amor para outra tonta qualquer. E seu mundo cai! Claro que sem aquele drama todo e bebedeira da Maysa. Dois dias comendo chocolate (sempre acalma) e duas noites chorando sem durmir e esta tudo resolvido!
E aí você se da conta que cresceu! Não acredita mais em príncipes e também não quer mais a diversão passageira que somente os lobos sabem proporcionar

É chegada a hora de enfim conhecer a última e mais importante categoria: Os plebeus!
Um cara que você pode realmente contar, que esteja do seu lado nos bons e maus momentos e você percebe que aquela idéia um tanto quanto antiquada da sua avó de que está na hora de encontrar um marido faz sentido. (Não literalmente porque ainda acho um absurdo casar antes dos 30!)
Sabe que está na hora de ter um relacionamento sério e saudável que só um plebeu pode proporcionar! Por que no fundo, bem no fundo, todas nós temos aquele sonho de construir família. Umas tomam isso como prioridade, outras como fraqueza, outras como "sei lá, um dia quem sabe" (meu caso!)
Sabe aquele tipo que corre atrás do que quer (não tem a vida mansa de um príncipe), é bem humorado, inteligente, não é dado a frescuras mas sabe apreciar as frirulas femininas. Não se preocupa em comprar flores em datas especiais. Prefere te levar para apreciá-la num jardim. Consegue ser gentil sem deixar de ser forte.
Tem aquela aparência "não to nem aí, barba por fazer"?!
E principalmente tem seu ego inflado quando outro homem elogia a inteligência da sua digníssima ao invés da bunda. Esse é o verdadeiro plebeu! Ser que parece estar em extinção! Em comum com o príncipe a gentileza e dos lobos herdam aquela, digamos peg.. Ah! Você sabe o que rs
Plebeus... Tão comuns e ao mesmo tempo tão raros de encontrar. Parece que eles se escondem, fingem ser um dos dois tipinhos citados acima para não serem descobertos por nós pseudoprincesas.


Até qq dia!
=*

PS.: Ganhei mais 3 selos! Dois do André, do blog Midia e Entretenimento e um do Wander Ribeiro. Muito obrigada!! ^^ Faço as indicações nos próximos post.

11 comentários:

Bruno (de mim para mim) disse...

Bom texto ..
só não concordo com as cetegorias dos homens. Acredite se quiser, mas ainda existem os romanticos. claro que mais modernos e até talvez, mas recatados... mas seguram ainda a bandeira e fecham as portas do carro .

mevisite!

Bruno (de mim para mim) disse...

é uma questão de ponto de vista.
mas eu quis dizer "abrir portas" e só foi uma metáfora tosca!
kkk ..

de qualquer jeito, é bom ler textos assim, agente supreende.

Ana Gabi disse...

hahahaha

muito show!

vc tava sumidinha, né?

se eu morasse em cabof iria querer carnaval o ano todo!


beijo!

Dina disse...

Tais plebeus estão em falta, realmente!
rs!
Beijos!

Talita do Vale disse...

Eu ateh concordo olha!

Plebeus... Ai um Plebeu pra mim agora !!!

:: rita :: disse...

. moça... seu texto esta otimo! e lendo sobre o lobo, naum sei pq [sei sim!] lembrei do cretin* do meu ex! . mas o que me chamou a atenção foi o titulo! pq muitas vezes... eu me estranho sim! me fez pensar... !

[paz]

Daniel Oliveira disse...

Adorei o texto!Parabéns pelo blog,ficou bem legal,vou te visitar sempre! Dá uma olhada no meu >....eu ia ficar bem feliz! http://ddcomedy.blogspot.com
xau!

Jandira Frota disse...

Adorei o texto...
já acreditei nos príncipes, conheci alguns lobos, mas infelizmente ainda não esbarrei em nenhum plebeu...
fazer o quê né?!
hauhuhauhauh
Beijos!

Da Silva disse...

Acho q todo homem que tem um desenvolvimento normal passa um pouco pelas três fases.

Eu tive muito pouco da primeira (mas tive), tive muuuito da segunda, e agora curto a terceira sem problema.

E ainda estou me recuperando do carnaval.

bjs mil

M. disse...

Menina, que sintonia. Eu juro que acabei de pensar em vc. srsrsrr

Que bom que voltastes!

Bjossssssssssss!!!

Glazii disse...

Prii! seu texto fikou muito bom!
nossa sem comentarios. vou vir no seu blog sempre. È muito bom isso aki te faz rir e pensar .
muito bom!

bjoo

p.s : Parabens vc escreve mt bem =D